LAQV REQUIMTE

Investigador do REQUIMTE/LAQV - FFUP lidera expedição científica na Guiné-Bissau para o registo e recolha de plantas medicinais da flora local

Back to list

No âmbito de um projeto piloto coordenado por Paula Andrade, docente do Laboratório de Farmacognosia da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto (FFUP) e coordenadora do grupo Natural Products – Chemistry and Bioactivity da Rede de Química e Tecnologia (REQUIMTE/LAQV), e em colaboração com Luísa Araújo, diretora executiva da MDS – Medicamentos e Diagnósticos em Saúde, foi realizada uma expedição científica à Guiné-Bissau que teve lugar entre os dias 30 de outubro e 13 de novembro. O projeto visa a priorização de plantas medicinais para a descoberta de moléculas com potencial terapêutico, nomeadamente com propriedades anti-inflamatórias e antidiabéticas. Adicionalmente, e no âmbito de um projeto paralelo, várias espécies da flora guineense têm sido também investigadas pelo grupo, com o intuito de identificar moléculas com atividade inseticida.

 

A comitiva liderada por Nelson Gonçalo Mortágua Gomes, investigador FCT da REQUIMTE/LAQV, integrou as populações locais, em particular da tabanca de Eticoga, que auxiliaram na documentação e recolha de espécies de plantas utilizadas pelos curandeiros locais. A amostragem de material vegetal foi realizada em vários locais, incluindo em Cacheu, Varela, e maioritariamente no Arquipélago dos Bijagós, classificado como reserva da biosfera pela UNESCO.

 

Nelson Gomes realçou que existem particularidades fitogeográficas e etnobotânicas na Guiné-Bissau que suscitaram o interesse do grupo de investigação da REQUIMTE/LAQV: ‘Estando documentadas cerca de 1500 espécies de plantas na flora local, somente cerca de 200 são utilizadas pelos curandeiros. Das plantas referidas como sendo utilizadas na Medicina Tradicional local, existem cerca de 70 espécies que são ainda desconhecidas para a comunidade científica relativamente ao seu potencial para o desenvolvimento de fármacos, suplementos alimentares ou cosméticos.’. Além da descoberta de moléculas estruturalmente novas, e com potencial para a integração em pipelines de I&D no sector farmacêutico, a investigação inclui também a validação farmacológica da utilização etnomedicinal de várias espécies, permitindo avaliar a sua eficácia terapêutica mas também gerar dados relativamente à sua potencial toxicidade.

 

Durante a estadia em Bissau foram formalizadas parcerias com instituições locais, entre as quais com o Instituto Nacional de Saúde Pública (INASA) da Guiné-Bissau, o Instituto da Biodiversidade e das Áreas Protegidas (IBAP) e o Instituto Nacional da Pesquisa Agrária (INPA), com o intuito de promover a valorização da flora local. No dia 12 de novembro o investigador Nelson Gomes participou enquanto palestrante convidado no Ciclo de Conferências ‘Pensar Pela Saúde’, organizado pelo Camões – Centro de Língua Portuguesa e pela Embaixada de Portugal na Guiné-Bissau, e que decorreu no Centro Cultural Português em Bissau.